Um estudo recentemente publicado na revista científica Nutrients sugere que, além da água, as bebidas com adoçantes sem e de baixas calorias podem ser escolhas adequadas para ajudar a moderar o consumo de açúcares e hidratos de carbono. Este estudo avaliou a relação entre a ingestão de água e as bebidas com adoçantes sem e de baixas calorias com a ingestão de nutrientes e critérios de pré-diabetes, ao utilizar dados do Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição (NHANES, sigla em inglês) 2001-2012 dos Estados Unidos, com uma amostra de 25.817 adultos sem diabetes.

O estudo mostrou que “não existe uma associação significativa entre o consumo de energia total e um maior consumo de bebidas com adoçantes sem e de baixas calorias ou água”, e “embora tenham sido observadas tendências lineares em ambas as bebidas, uma maior ingestão de bebidas com adoçantes sem e de baixas calorias foi associada a um consumo significativamente inferior de hidratos de carbono (-9,1 g / dia vs. -1,4 g / dia), de açúcares totais (-10,9 g / dia vs. -2,2 g / dia) e açúcares adicionados (-2,0 colheres de chá vs. -0,8 colher de chá) do que aqueles associados a um maior consumo de água”.

Ademais, e contrariamente ao senso comum, “o consumo de bebidas com adoçantes sem e de baixas calorias foi associado a uma resposta glicémica igual ao consumo de água”. Além disso, uma “maior ingestão de ambas as bebidas foi significativamente associada a menores níveis de insulina”. A análise conclui que uma “maior ingestão de bebidas com adoçantes sem e de baixas calorias também foi associada a um menor nível de hemoglobina A1c e a uma menor resistência à insulina (HOMA-IR)”, bem como a um “rácio de probabilidades menor de níveis elevados para os marcadores de pré-diabetes”.

Desta forma e, de acordo com o estudo, estes resultados contribuem para o crescente número de evidências de estudos humanos, que sugerem que, além da água, as bebidas com adoçantes sem e de baixas calorias também podem ser escolhas sensatas para reduzir a ingestão de açúcares e de hidratos de carbono, sem nenhuns efeitos adversos na resposta glicémica.

No entanto, os autores deste estudo admitem que, dado o facto da utilização de “dados transversais, estes não podem ser utilizados para estabelecer nexo de causalidade. Além disso, este estudo utilizou a ingestão alimentar de um período de 24 h comunicada diretamente pelos inquiridos, a qual pode não representar os padrões de consumo típicos”.

Leahy M, Ratliff JC, Riedt CS, Fulgoni VL. Consumption of low-calorie sweetened beverages compared to water is associated with reduced intake of carbohydrates and sugar, with no adverse relationships to glycemic responses: results from the 2001-2012 national health and nutrition examination surveys. Nutrients, 2017;9(9):928; doi: 10.3390/nu9090928.