A revista científica Nutrients publicou o primeiro Consenso Ibero-americano sobre adoçantes sem ou de baixas calorias, documento que foi elaborado por mais de 60 especialistas internacionais que analisaram e avaliaram a fundamentação científica em relação ao seu papel na alimentação, à sua segurança e inocuidade, à sua regulamentação e aos aspetos nutricionais e dietéticos do seu uso em alimentos e bebidas. O principal objetivo do Consenso, celebrado em Lisboa, era proporcionar um ponto de referência útil baseado em evidências para ajudar a reduzir o consumo de açúcares adicionados em alimentos e bebidas, seguindo as atuais recomendações propostas pelas autoridades internacionais de saúde pública.

Com a publicação do Consenso, os especialistas confirmaram e destacaram a segurança dos adoçantes sem ou de baixas calorias, uma vez que são substâncias consumidas há mais de um século e que são analisadas de forma minuciosa e aprovadas, periodicamente, por entidades reguladoras de saúde em todo o mundo, incluindo a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA). O Consenso também evidenciou a necessidade de proporcionar aos consumidores informações rigorosas e de qualidade, fáceis de entender pelo público em geral sobre este tipo de adoçantes.

Os adoçantes sem ou de baixas calorias são aditivos alimentares que são amplamente usados como substitutos do açúcar para adoçar uma grande variedade de alimentos e bebidas, incluindo sobremesas, batidos, bebidas vegetais, néctares e bebidas à base de sumo, iogurtes, refrigerantes, bolachas, pastilhas elásticas ou doces. Eles também são utilizados em medicamentos e produtos para cuidados de saúde, como pasta dentífrica e suplementos alimentares. Todos os alimentos que contenham adoçantes devem indicar no rótulo, tanto na lista de ingredientes como na denominação do género alimentício. Além disso, se um alimento ou bebida contiver aspartame ou sal de aspartame e acessulfame, o rótulo do produto deve apresentar a menção “contém uma fonte de fenilalanina”.

Na União Europeia, os adoçantes sem ou de baixas calorias que estão autorizados para uso em alimentos e bebidas são: acessulfame K, advantame, aspartame, ácido ciclâmico e os seus sais de sódio e cálcio, neohesperidina DC, neotame, sacarinas, sal de aspartame e acessulfame, glicosídeos de esteviol, sucralose e taumatina.

Referencias:

Serra-Majem Ll, Raposo A, Aranceta-Bartrina J, Varela-Moreiras G, Logue C, Laviada H et al. Ibero-American Consensus on Low- and No-Calorie Sweeteners: Safety, Nutritional Aspects and Benefits in Food and Beverages. Nutrients, 2018;10(7):818-849.

Regulamento (CE) n.º 1333/2008 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de dezembro de 2008, relativo aos aditivos alimentares (JO L 354 de 31.12.2008, p. 16-33 e suas sucessivas alterações)