A importância da hidratação e outros aspetos relacionados com a prática desportiva foram alguns dos temas centrais abordados durante o XVII Congresso Internacional da Sociedade Espanhola de Medicina do Desporto (SEMED), que decorreu de 29 novembro a 01 de dezembro em Toledo. Ao longo destas jornadas científicas ocorreram 35 sessões nas quais participaram 56 oradores a nível internacional, 10 delas especificamente sobre hidratação e nutrição, e contaram com a assistência de 200 profissionais ligados ao desporto.

A avaliação do estado de hidratação dos nadadores, bem como a análise dos seus conhecimentos em relação ao seu estado de hidratação, ou a utilização de suplementos por parte dos mesmos, foram três das principais temáticas das comunicações orais realizadas durante este evento científico.

O consumo de simbióticos em desportistas de elite ou a suplementação com cacau foram outros dos tópicos discutidos neste congresso. Por último, a Sessão Plenária “Para onde se dirige a nutrição no desporto e na atividade física?”, contou com a participação do Dr. Rhon Maughan, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Saint Andrews, no Reino Unido, e perito em hidratação e nutrição no desporto.

Manter um estado adequado de hidratação é importante para a nossa saúde e pode desempenhar um papel fundamental no desempenho desportivo. De acordo com as informações científicas disponíveis, um adequado estado de hidratação permite ao atleta manter uma alta carga de treino, em termos de intensidade e volume, e assim maximizar o estímulo de treino. Além disso, a realização de um treino com um estado de hidratação insuficiente poderá aumentar a tensão fisiológica experimentada pelo atleta, o que poderia ter o efeito de aumentar a resposta do treino e o potencial para aumentar a síndrome do excesso de treino.

Por tudo isto, manter um adequado estado de hidratação, através do equilíbrio entre a ingestão e a perda de líquidos, torna-se numa questão relevante, existindo inúmeros fatores que podem alterar este equilíbrio nos atletas. Os ganhos dependerão da ingestão alimentar de água acompanhada de sais mineraise de uma fonte de reposição de glicogénio, e as perdas irão variar dependendo da duração e intensidade do desporto, bem como das condições ambientais e da humidade relativa, afetando todos estes fatores a taxa de suor. Em exercícios de alta intensidade com altas temperaturas, as taxas de suor podem chegar a 3 l/h, e alguns atletas que treinam com regularidade constante podem manter as taxas de suor de 1 a 2 l/h por muitas horas. Portanto, compensar estas perdas através de uma ingestão de água e sais minerais suficientes é vital para manter o balanço hídrico.

Referências:

XVII Congreso Internacional de La Sociedad Española de Medicina del Deporte. Arch. med. deporte, 2018;35(Suppl. 1):20-69.

Maughan RJ, Meyer NL. Hydration during Intense Exercise Training. Nestle Nutr Inst Workshop Ser, 2013;76:25-37; doi: 10.1159/000350225.

Maughan RJ, Watson P, Shirreffs SM. Implications of active lifestyles and environmental factors for water needs and consequences of failure to meet those needs. Nutr Rev, 2015;73(Suppl 2):130-40; doi: 10.1093/nutrit/nuv051.