Congresso Internacional de Hidratação

Manter uma hidratação adequada “desempenha um papel essencial na saúde e no bem-estar, que tem sido altamente reconhecido nos últimos anos entre investigadores e especialistas da área da saúde, como os nutricionistas, dietistas, clínicos gerais, farmacêuticos, educadores, assim como entre os especialistas em atividade física e ciências do desporto e a população em geral”.

De acordo com as conclusões do II Congresso Internacional de Hidratação e IV Congresso Espanhol de Hidratação, compiladas na revista científica Nutrición Hospitalaria, “a água é o principal componente do nosso organismo, representando aproximadamente 60 % do peso corporal total nos adultos e tem de ser obtida através do consumo de diferentes alimentos e bebidas, como parte da nossa alimentação diária”. “Os requisitos diários de água, estabelecidos pela Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA, ano 2010), são 2 e 2,5 litros por dia para mulheres e homens adultos, respetivamente, dependendo do seu estado fisiológico, atividade física e condições ambientais”. “Não obstante, a evidência científica disponível sugere que a maioria das populações europeias não cumpre as recomendações para uma ingestão adequada”.

“Algumas crianças e adolescentes podem não satisfazer as suas necessidades adequadas de hidratação devido às escolhas dietéticas habituais (como por exemplo, um baixo consumo de fruta, acesso limitado a líquidos durante o dia escolar) ou devido ao aumento das necessidades energéticas na sequência das condições de vida ambiental ou atividade física intensa”. Por sua vez, durante a gravidez, as mulheres “podem ter uma maior dificuldade em alcançar uma hidratação adequada por não beberem água devido a náuseas e vómitos”. No entanto, nesta etapa da vida, a hidratação “desempenha um papel crucial para manter um índice adequado de água corporal e para a renovação do líquido amniótico. Durante a amamentação, a ingestão de líquidos também influencia a osmolaridade do leite”.

No que diz respeito à população idosa, e de acordo com o suplemento da “Nutrición Hospitalaria”, o processo de envelhecimento “está associado a várias mudanças fisiológicas que podem afetar a sensação de sede e de líquidos ingeridos, sendo mais suscetíveis de não alcançarem os níveis adequados de hidratação. Os estudos realizados junto de idosos hospitalizados e com uma hidratação desadequada mostram um aumento da morbilidade‑mortalidade de 40-70 %, enquanto uma hidratação adequada revela melhorias consideráveis na saúde e em períodos de hospitalização”. Mais especificamente, “foi demonstrado que 95 % das lesões, tais como as úlceras de pressão, são possíveis de prevenir com uma nutrição correta e uma ingestão adequada de água”. De acordo com as conclusões do Congresso, a desidratação é “o segundo fator de comorbidade mais comum” e “representa um importante problema de saúde pública, que impõe um encargo económico significativo”.

No que diz respeito ao desporto, o documento das conclusões do II Congresso Internacional de Hidratação Internacional e IV Congresso Espanhol de Hidratação estabelecem que a perda de água e eletrólitos durante o treino e a competição têm efeitos no desempenho desportivo. Por essas razões, “é necessário que os atletas mantenham um nível adequado de hidratação, ingerindo um volume adequado de líquidos antes, durante e após o exercício físico”, evitando riscos para a saúde associados ao desequilíbrio eletrolítico, “particularmente em ambientes quentes”.

Da mesma forma, o texto sugere que “é necessário que as orientações alimentares devem incluir requisitos diários, com uma maior especificidade no que diz respeito às mudanças de idade, género e ambiente”.

Finalmente, as conclusões do II Congresso Internacional de Hidratação, publicadas pela “Nutrición Hospitalaria”, reúnem outros aspetos e avanços científicos relacionados com a metodologia utilizada para a medição do estado de hidratação da população, retenção de líquidos, assim como diferentes estudos científicos que mostram como “o consumo de água afeta a estrutura e funções cerebrais e talvez o desempenho cognitivo, particularmente quando envolvem habilidades motoras”.

“Um melhor nível de hidratação pode ajudar a melhorar os índices de humor, atenção e concentração mental”. Da mesma forma, e “embora os estudos genómicos sobre hidratação e saúde estejam numa fase inicial e seja necessário uma maior investigação, alguns estudos mostraram que certos marcadores genéticos estão associados a maiores necessidades de ingestão de líquidos”. Desta forma, espera-se que os resultados de novos projetos de investigação possam proporcionar mais informações valiosas para poder ajudar a concretizar recomendações individuais.

Aranceta-Bartrina J, Gil A, Marcos A, Pérez-Rodrigo C, Serra-Majem LL, Varela-Moreiras G. Conclusions of the II International and IV Spanish Hydration Congress. Toledo, Spain, 2nd-4th December, 2015. Nutr Hosp, 2016;33(Supl. 3):1-3; doi: http://dx.doi.org/10.20960/nh.308.

http://www.nutricionhospitalaria.org/nutricion-hospitalaria-vol-33-suplemento-3/