A reciclagem passou a fazer parte do nosso dia-a-dia. Separamos resíduos, recebemos educação ambiental e adotamos rotinas mais sustentáveis. No entanto, ainda temos muito a aprender. Identificar e separar os diferentes tipos de plástico, por exemplo, é fundamental para facilitar a sua posterior reutilização.

Nem todos os plásticos são iguais e o impacto que têm no ambiente depende muito do material de que são feitos. Vamos passar em revista os sete tipos de plástico, começando do mais reciclável para o menos reciclável:

Polietileno tereftalato ou PET

O tipo de plástico PET é um dos mais conhecidos
O tipo de plástico PET é um dos mais conhecidos

É o plástico utilizado nas garrafas de bebidas e embalagens de alimentos dado ser o mais ligeiro. A partir deste tipo de plástico são produzidas também fibras têxtis, entre outros produtos.

É o mais reciclável uma vez que pode ser aquecido e voltar a ser moldado quantas vezes se desejar. Atualmente as garrafas de Coca-Cola em Portugal são 100% recicláveis e contêm, em média, 13% de PET reciclado. O objetivo é conter pelo menos 50% antes de 2025.

Polietileno de alta densidade ou PEAD

 Objetos de uso quotidiano
O PEAD está também muito presente em objetos de uso quotidiano

A sua aplicação mais frequente é nas embalagens de detergentes e de outros líquidos. Também é usado para fabricar produtos de telecomunicações e para uso sanitário uma vez que é resistente, leve e impermeável.

É um material versátil que pode ser transformado em diferentes produtos. Pode ser reciclado para fazer garrafas, embalagens de produtos de limpeza e peças de mobiliário urbano, por exemplo.

Policloreto de vinilo ou PVC

tuberia plastico
O PVC é resistente às intempéries pelo que é comum em materiais de construção

É comum relacionar o PVC com janelas e canalizações usadas na construção civil uma vez que é um material rígido com uma alta resistência às condições do meio ambiente (é muito utilizado para substituir o ferro, que se oxida).  Porém, a partir do PVC também se pode obter produtos flexíveis, como mangueiras e brinquedos.

A sua reciclagem é feita ao nível industrial. Podem ser obtidos produtos diversos desde solas para calçado a produtos para o lar.

Polietileno de baixa densidade ou PEBD

Sandwiches packed
O PEBD está também muito presente nos nossos lares

É leve, impermeável, flexível e muito económico, o que o torna num material muito adequado para embalagens flexíveis de alimentos e cosméticos, sacos e materiais de uso agrícola. A sua reciclagem não é tão simples mas podem ser obtidos sacos do lixo, tubos de irrigação ou panelas.

Polipropileno ou PP

Embalagens de alimentos
O plástico PP é muito resistente ao calor e ao frio, sendo adequado para embalagens de alimentos

É impermeável e leve. Para além disso, possui uma grande resistência ao calor e ao frio, motivo pelo qual é muito usado para embalagens herméticas para alimentos (que podem ser colocadas tanto no micro-ondas como no congelador). Também está presente em material médico (como seringas), tampões ou fibras para estofos e tapetes. A partir da sua reciclagem é possível obter recipientes ou cadeiras.

Poliestireno ou PS 6

Vaso plastico
A maioria dos plásticos descartáveis usam poliestireno ou PS

É um material muito comum nas embalagens destinadas a serem usadas uma única vez como copos e bandejas de comida, dado ser muito leve. Também é usado em eletrodomésticos e brinquedos. Só pode ser reciclado se não conter restos de alimentos ou rótulos de outros materiais, podendo ser reconvertido em produtos de livraria e escritório, entre outros.

Plásticos mistos

 Telemóveis, tablets e computadores
Os plásticos mistos podem ser encontrados nos telemóveis, tablets e computadores

São usados em componentes de artigos de eletrónica, eletrodomésticos e de engenharia uma vez que têm uma grande resistência a altas temperaturas. É praticamente impossível recicla-los uma vez que combinam diferentes materiais.

A aposta da Coca-Cola na economia circular

As embalagens de Coca-Cola não utilizam misturas de diferentes tipos de plástico nem cores escuras, o que favorece a reciclagem. Qualquer garrafa pode ser processada numa unidade tratamento PET no nosso país.

Para além disso, uma das prioridades tem sido sempre conceber embalagens cada vez mais leves para reduzir o seu impacto ambiental. Quando a The Coca-Cola Company conseguiu reduzir em 4mm o tamanho da tampa e do gargalo das garrafas PET conseguiu poupar 26.500 quilos de plástico.

Como parte da sua estratégia de sustentabilidade, a Coca-Cola deu início ao projeto Mares Circulares para recolher resíduos de locais onde são especialmente problemáticos: nas nossas costas, praias, reservas e fundos marinhos. O objetivo final é recolher o equivalente a 100% das latas e garrafas comercializadas em 2025, para poder reciclar posteriormente e integrar os resíduos na sua cadeia de valor através da economia circular.