As embalagens são fundamentais para a indústria alimentar: permitem transportar as bebidas e os alimentos de forma segura, protegendo-os para que cheguem aos consumidores com a mesma qualidade com que saem das linhas de produção.

Evidentemente, existe uma embalagem distinta para cada uso, mas na Coca-Cola a prioridade sempre foi reduzir o pesodas mesmas – mantendo o design e a qualidade – para alcançar a máxima eficiência e o menor impacto ambiental.

Embalagens mais leves: menos matéria-prima, menos pegada de carbono

Ao longo dos últimos anos, a Coca-Cola conseguiu reduzir o peso de praticamente todas as suas embalagens. O facto de pesar uma grama a menos pode parecer insignificante, mas quando milhares de garrafas são mais leves, os recursos utilizados para as elaborar são menores e o seu transporte é mais eficiente.

Além disso, um menor peso no transporte contribui para reduzir a pegada de carbono. Por exemplo, quando a Coca-Cola reduziu o tamanho da tampa das garrafas PET em 4mm, economizou 2.000 toneladas de plástico.

Mas vamos analisar os progressos realizados nas embalagens mais importantes da Coca-Cola em Portugal, um claro reflexo do compromisso ambiental da Companhia:

Garrafa de vidro retornável

Embalagens sustentáveis
Uma mesma garrafa de vidro retornável de Coca-Cola em média pode ser utilizada até 25 vezes.

O vidro das garrafas retornáveis, que pode ser encontrado em bares, cafés, restaurantes e hotéis, é totalmente reciclável– sem limite de vezes – e muito resistente. A principal peculiaridade dessas garrafas é que, uma vez utilizadas, a Coca-Cola recolhe-as no estabelecimento e devolve-as às fábricas. Lá, são limpas com detergente e água a altas temperaturas e passam por uma inspeção eletrónica antes de serem recarregadas.

A mesma embalagem pode ser utilizada em média até 25 vezes, após as quais a garrafa é levada a uma fábrica de reciclagem para fazer parte de outro objeto de vidro.

O peso da garrafa também sofreu alterações. Por exemplo no ano 2000 uma garrafa de Coca-Cola de 0,20 ml pesava 372 g. A garrafa equivalente em 2017 tem uma capacidade de 237 ml e um peso de 240 g, ou seja, houve uma redução no peso e aumento da sua capacidade, significando uma redução de recursos no fabrico e consequentemente uma redução no consumo de energia.

Garrafa de vidro não retornável

Os consumidores podem também encontrar garrafas de vidro nos supermercados, embora, ao contrário das que estão expostas nos bares, sejam de apenas uma única utilização. É por isso que podem ser mais leves: pesam apenas 167 gramas. Uma vez consumidas, são depositadas no contentor de vidro para que possam ser recicladas sob a forma de novas embalagens ou materiais de vidro, dado se tratar de um material interminável e reciclável. Além disso, todas as garrafas de vidro Coca-Cola são realizadas com 22% de vidro reciclado.

Latas de aço ou alumínio

Desde que apareceram pela primeira vez no mercado americano, as primeiras latas de Coca-Cola tornaram-se clássicas – o que não significa que não tenham mudado ao longo dos anos.

Mais especificamente, elas foram-se tornando mais leves, de maneira a que menos matéria-prima é utilizada para produzir cada uma delas.

Nos dias de hoje, aproximadamente metade das latas de Coca-Cola são de alumínio e a outra metade de aço. Ao início as latas de 0,33ml de alumínio era de 35,3 gramas, hoje é de apenas 12,95 gramas. No caso do aço, é de 26,74 gramas. Nos últimos 30 anos, o peso das latas foi reduzido em 40%. Além disso, as latas de alumínio são feitas com 50% de material reciclado e latas de aço, com 25%.

Garrafas PET

Este é o tipo de embalagem que permite uma melhor relação entre a quantidade de bebida e o peso do produto. Precisamente, o material com o qual estas garrafas são fabricadas é PET (politereftalato de etileno), que é ideal para a indústria alimentar pela sua transparência e alta resistência. Além disso, é completamente reciclável, ao que devemos acrescentar que cada garrafa de bebida com gás contém 23% de RPET (PET Reciclado) e garrafas da marca de água AquaBona, 12%.

A Coca-Cola não utiliza misturas de diferentes plásticos ou multicamadas, nem cores escuras ou garrafas opacas. Essas medidas ajudam a facilitar a reciclagem, de modo que qualquer garrafa pode ser facilmente processada numa estação de tratamento de PET.

O seu peso também foi melhorado, tornando-se mais leve em cerca de 8% nas garrafas mais pequenas e 12% nos últimos anos. A garrafa PET de 2 litros passou dos 72 gramas anteriores para os 44 gramas atuais: uma redução de 39%.

Embalagens sustentáveis
As garrafas PlantBottle estão elaboradas com 30% de materiais de origem vegetal

Em relação ao seu compromisso de desenvolver alternativas sustentáveis às embalagens tradicionais, a Coca-Cola lançou em 2009 a PlantBottle, uma garrafa com 30% de materiais de origem vegetal de um subproduto do processamento da cana-de-açúcar. O seu fabrico contribui para a redução dos resíduos e tem uma pegada de carbono aproximadamente 12% inferior à das restantes garrafas.

A Coca-Cola já distribuiu mais de 40 mil milhões de PlantBottle. Tal como as outras garrafas PET, é totalmente reciclável para o ciclo continuar. O próximo desafio no qual a Coca-Cola já está a trabalhar é criar uma garrafa PlantBottle 100% feita a partir de materiais renováveis de plantas.

Papel e cartão sustentáveis


Coca-Cola é membro desde 2008 da Rede Ibérica de Comércio Florestal da WWF, que promove um consumo responsável e sustentável de produtos florestais para ajudar a proteger os bosques armazenados e acabar com o registro ilegal. 

De facto, o papel, o cartão e a madeira dos rótulos, das embalagens e dos materiais publicitários possuem o selo FSC(Forest Stewardship Council), a garantia máxima de que essas matérias-primas provêm de florestas de gestão responsável.

O compromisso da Companhia com o meio ambiente denota-se também a nível interno. A mobília, a carpintaria e o papel da sede da Coca-Cola Ibéria em Madrid também possuem certificação FSC.