O compromisso da Coca-Cola com a sustentabilidade não passa só por aproveitar a visibilidade da Companhia e a força das suas marcas para construir um mundo melhor a nível ambiental, ao devolver à natureza 100% da água contida nas suas bebidas ou a lançar embalagens mais sustentáveis para o meio ambiente, por exemplo. Passa também por gerar valor social.

Para esse efeito, a Coca-Cola baseia parte da sua estratégia em sustentabilidade em pilares, como a promoção de uma cultura laboral diversa e inclusiva, tanto na própria Companhia como na sociedade como um todo; o desenvolvimento de iniciativas que contribuam para a empregabilidade dos jovens; o apoio à cultura; e o respeito pelos direitos humanos em toda a cadeia de fornecimento.

Com o grande objetivo de apoiar a diversidade e os grupos que mais precisam dela, a Coca-Cola colabora com várias organizações e junta-se a iniciativas como a campanha da ONU HeForShe, que procura, desde 2004, envolver os homens na luta pela igualdade de género. 

Na sua firme aspiração de ser um agente de mudança, a Coca-Cola desenvolve também os seus próprios projetos, como o 5by20, um programa ambicioso com um objetivo claro: apoiar 5 milhões de mulheres empresárias em todo o mundo através da sua cadeia de valor até 2020. Desde o seu lançamento em 2010, mais de 1,2 milhões de mulheres participaram nos diferentes projetos de 5by20 em todo o mundo. Da Índia ao México ou Estados Unidos, mas também em países como Reino Unido ou Espanha.

Coca-Cola e Direitos Humanos

O compromisso da Coca-Cola com a sociedade
Em 2017, a Coca-Cola publicou o seu primeiro relatório de desempenho sobre Diretos Humanos.

Promover a cultura a toda a sociedade, especialmente a mais jovem, é também uma prioridade para a Coca-Cola. O que seríamos sem teatro, arte ou literatura? É por isso que a Coca-Cola apoia a criação de momentos culturais, promove o talento jovem e ajuda a cultura a projetar o mundo inteiro.

Do mesmo modo, o respeito pelos direitos humanos e dos trabalhadores é fundamental no compromisso da Coca-Cola com a sustentabilidade, que amplia a sua conformidade com os seus parceiros de engarrafamento e fornecedores. Assim, a política de direitos humanos da Companhia, com a qual os Princípios Orientadores para Fornecedores estão alinhados, constitui a base para a gestão dos negócios em todo o mundo.

Em 2017, Coca-Cola deu mais um passo no compromisso de respeitar os direitos humanos ao publicar o seu primeiro relatório de desempenho sobre Direitos Humanos. Preparado por um auditor independente e no âmbito dos Princípios Orientadores das Nações Unidas sobre Empresas e Direitos Humanos, expõe os principais riscos de direitos humanos dentro da cadeia de valor da Coca-Cola e explica o processo de deteção e resposta aos mesmos, além de compartilhar os avanços mais destacados.

A licença social da Coca-Cola para operar depende da sua capacidade de identificar, prevenir e mitigar as consequências adversas das suas atividades e relações comerciais. Assim, continuará a monitorizar as suas políticas a favor dos direitos humanos para garantir um impacto positivo para funcionários, clientes, consumidores e comunidades nos mais de 200 países e territórios em que está presente.