Face ao atual sistema linear de produção, no qual a equação dominante é extrair, fabricar, consumir e eliminar, a chamada economia circular propõe reutilizar, reciclar e reabastecer. É a implementação da expressão “nada se perde, tudo se transforma”; um modelo em que não há desperdício: todos os materiais e bens da cadeia produtiva servem para alimentar outros ciclos de uso e produção, e assim por diante.

Há já algum tempo que a Coca-Cola se tem esforçado para colocar em prática a economia circular e aproveitar todos os recursos. Não apenas para maximizar o seu valor e rentabilidade, mas também para aumentar a sustentabilidade ambiental. E fá-lo nas áreas da sua atividade que podem contribuir mais para a economia circular, como as embalagens e a água.

Embalagens amigas do ambiente

Embalagens com materiais reciclados
As embalagens com materiais reciclados ou fontes orgânicas supõem uma importante redução das emissões de CO2 para a atmosfera.

Quanto se trata de embalagens, a Coca-Cola opta por utilizar aquelas que são amigas do ambiente, além de diminuir a produção de resíduos nas suas operações.

Por exemplo, 100% das embalagens são recicláveis e, além disso, contêm materiais reciclados ou fontes orgânicas. E a Coca-cola foi a primeira companhia a comercializar em 2009 uma garrafa PET totalmente reciclável e fabricada com até 30% com materiais renováveis de plantas, como a cana-de-açúcar.

Em relação ao conteúdo de material reciclado das embalagens, a Coca-Cola evolui em consonância com as mais recentes tecnologias e a oferta dos fornecedores. Atualmente, 50% das latas de alumínio, 25% das latas de aço, 15% das embalagens de vidro e 13% das embalagens de PET são provenientes de materiais reciclados (até ao final de 2018, espera-se atingir os 19%). Isso representa uma redução significativa nas emissões de CO2: o alumínio de fontes recicladas utiliza apenas 5% da energia e produz apenas 5% das emissões de alumínio em fontes primárias.

Além disso, com os clientes do canal Horeca (hotelaria e catering), a Coca-Cola incentiva o uso das embalagens de vidro reutilizável, que é usado em média 25 vezes durante a sua vida útil, num claro compromisso de reutilização.

A economia circular é também educar e consciencializar

Recolha de resíduos da Coca-Cola
Recolha de resíduos da Coca-Cola e da Fundação Ecomar na praia de Luaña, na Cantábria. 

Mas não se trata unicamente de uma questão de inovação de novos materiais e embalagens, mas sim de educação e consciencialização ambiental.

Com o objetivo de sensibilizar os mais novos sobre a importância de manter limpos os nossos mares e costas, e ensiná-los a reciclar, a Coca-Cola desenvolve há sete anos a campanha Limpeza das Costas. Juntamente com a Fundação Ecomar, os jovens voluntários recolhem resíduos através de pontos distintos do litoral da Península Ibérica.

A sustentabilidade muda vidas

Além de melhorar o ambiente, a economia circular também muda vidas. Iniciativas como a EKOCYCLE, uma impressora 3D capaz de transformar garrafas PET em carregadores móveis, capas de tablets, note-books e joias sustentáveis produzidas por comunidades locais na América Latina, África e Ásia, ajudam a fornecer uma fonte de rendimento para muitas pessoas.

Algo que também contribui é o projeto da Coca-Cola - 5by20 - que desde 2010 contribui para a formação pessoal e profissional de cinco milhões de mulheres até 2020. Graças ao mesmo, muitas mulheres de todo o mundo estão a usar as embalagens da Companhia para criar produtos artesanais exclusivos, como bolsas, joias ou objetos decorativos para a casa.

Devolver a água à natureza

O pensamento circular da Coca-Cola também se reflete nos recursos naturais, especialmente na água. Uma vez que este elemento é de extrema importância, a Companhia estabeleceu como meta a substituição de 100% da água contida nas suas bebidas até 2020. Em 2015, cinco anos antes do previsto, a Coca-Cola conseguiu atingir essa meta a nível global, tornando-se a primeira empresa na lista da Fortune a atingir um objetivo de reposição de água tão relevante.

Em 2016 na Península Ibérica, a Coca-Cola devolveu 3.051 milhões de litros de água através de diferentes projetos ambientais desenvolvidos em ecossistemas vulneráveis. Esta quantidade representou 95% da água contida nas bebidas comercializadas nos dois países.

Projetos de reabastecimento
Projetos de reabastecimento, projetos de recuperação de água e projetos de poupança de água foram fundamentais para a Coca-Cola devolver a água à natureza.

Protagonizar a mudança para um modelo sustentável e rentável

Atualmente, somos 7.600 milhões de habitantes no mundo e, segundo a ONU, estima-se que em 2050 seremos 9.800 milhões. A procura por recursos aumentará, mas não a oferta. A economia circular é apresentada como uma solução alternativa para um modelo de produção e consumo que tem prazo de validade.

A Coca-Cola acredita firmemente que, além de uma necessidade, ingressar na economia circular é uma oportunidade de se tornar protagonista da mudança em direção a um modelo sustentável e lucrativo. A sua responsabilidade é também usar a sua visibilidade e a força das suas marcas para fazer com que outras empresas e consumidores se unem e avancem também com esta transformação.