“Os períodos em que aprendi mais foram aqueles em que saí da minha zona de conforto e assumi papéis complicados, embora numa ocasião ou outra me tenha questionado se determinada decisão estava correta porque tinha receio de falhar”.

O novo CEO da Coca-Cola Ibéria, Juan Ignacio de Elizalde, refere-se deste modo às mudanças importantes que aconteceram durante a sua vida profissional. Como quando, após completar os seus estudos em Engenharia Industrial na Argentina, criou a sua própria empresa para, depois, ingressar para o mundo da consultoria e imediatamente depois, na indústria de alimentos e bebidas. Ou quando, já na Coca-Cola, mudou o planeamento estratégico pela administração e mudou-se da Argentina para o México e o Chile para depois se instalar na Bélgica como diretor geral da divisão do norte da Europa, o seu último cargo antes de chegar a Espanha.

“Estás prestes a ir para um mercado muito especial para a Companhia”, disseram-lhe várias vezes ao ser nomeado diretor-geral de Espanha e de Portugal. “O mercado ibérico é bastante relevante porque confere muito valor à Companhia graças ao seu compromisso contínuo com a inovação, o qual devemos continuar a promover”, diz o argentino de descendência espanhola “já muito diluída”. “O primeiro membro da família Elizalde chegou à Argentina em 1780”, afirma.

Para além da inovação, o mercado ibérico espelha uma “relação de respeito e colaboração entre a Companhia e o engarrafador, com a sua maneira de trabalhar com a indústria hoteleira, um exemplo a seguir cuidado”, afirma.

Agora, no comando da Coca-Cola Ibéria – desde 1 de agosto deste ano – tentará “fortalecer a liderança de mercado de Espanha e Portugal a nível global e contribuir para o sucesso e os resultados da Europa”. Algo para o qual dependerá do talento ibérico porque, segundo diz, “não há líder sem equipa”.

O diretor-geral da Coca-Cola Ibéria, Juan Ignacio de Elizalde
O Diretor considera que a relação entre a Companhia Ibérica e o engarrafador é “um exemplo a seguir e a cuidar”.

Impulsionar inovações

De Elizalde chega à Coca-Cola Ibéria apenas alguns meses depois de James Quincey se ter tornado CEO da The Coca-Cola Company e de ter inaugurado uma nova maneira de entender o negócio. “A Coca-Cola não teria mais de 130 anos de história se não estivesse constantemente atenta os consumidores, mas agora estamos a fazer isso com mais força. Como resultado, oferecemos aos consumidores bebidas cada vez mais adaptadas aos seus novos gostos e necessidades. É uma mudança fundamental que requer um olhar diferente, mais inovação, um modelo comercial distinto e outros produtos e marcas”, ressalta.

Neste sentido, o mercado japonês, independentemente das suas particularidades, é um caso a ser observado. “Em 2016, as bebidas com gás representaram cerca de 25% do volume total de vendas da Coca-Cola no Japão, e enquanto nas outras divisões da Companhia são lançadas 5-10 inovações por ano, aquele mercado atinge as 400”.

De Elizalde sabe de que está a falar. Enquanto responsável da Coca-Cola na Divisão do Norte da Europa durante mais de três anos, alavancou inovações nas categorias de bebidas com gás, água, chás e sumos, contribuindo assim para o crescimento da Companhia na Bélgica, Luxemburgo, Holanda, Noruega, Suécia e Islândia. Também foi parte integrante do sucesso do lançamento da Coca-Cola Zero Açúcar em todos estes mercados.

O diretor-geral da Coca-Cola Ibéria, Juan Ignacio de Elizalde
De Elizalde afirma que neste novo percurso profissional vai contar com o talento ibérico porque “não há líder sem equipa”.

Menos açúcar

O executivo acredita que a indústria de alimentos e bebidas deve desempenhar um papel pró-ativo para ajudar a reduzir as elevadas taxas de obesidade e excesso de peso. “Os consumidores querem produtos com menos açúcar, gordura e sal. Na Coca-Cola, estamos a responder a essas mudanças através da oferta de mais opções sem açúcares adicionados, reformulando muitas das nossas bebidas para reduzir o conteúdo de açúcar e trazendo novas para o mercado. Dadas as nossas capacidades de pesquisa e desenvolvimento, podemos fazer tudo isso sem comprometer os sabores que os consumidores adoram.”

A sua bebida preferida do portefólio da Companhia é Coca-Cola Zero Açúcar Zero Cafeína. “Tive que limitar a quantidade de cafeína porque, além de Coca-Cola, eu bebo mate, um vício que ainda guardo dos meus dias de estudante”, confessa.

Tal como fez na Argentina, no México, no Chile e na Bélgica, o atual CEO da Coca-Cola Ibéria descansa do trabalho assim que chega a casa, onde o seu papel principal se torna ser o pai de três filhos e um companheiro. Convencido da necessidade de reconciliar a vida familiar e profissional, afirma que “Uma vida equilibrada torna-te melhor trabalhador, amigo, pai, marido… Se não houver este equilíbrio, no final, tudo cai”.

Quer se trate da esfera pessoal ou profissional, partilha algumas chaves para o sucesso: “Ter o objetivo muito bem delineado, preparar a aventura para a sua realização com grande paixão, persistir e não andar sozinho, mas sim com todas aquelas pessoas que estão no teu caminho, porque elas somam.”