Ano após ano, a POWERADE MTB Non-Stop Madrid-Lisboa tem desafiado os amantes do BTT para uma experiência única de ligar Madrid a Lisboa em duas rodas. Na III edição da prova o balanço não podia ser mais positivo: o vencedor apenas foi conhecido num inédito sprint na meta e um português venceu na categoria mais dura, a solo.

À partida, em Las Rozas, em Madrid, era fácil sentir alguma ansiedade nos participantes para que a prova se iniciasse. Para os aspirantes à vitória, ultimavam-se os pormenores e punha-se em prática a estratégia delineada. Para quem queria apenas viver uma prova diferente de todas as que já tinha feito era tempo de se fazer à estrada com boa disposição.

Com o início da prova começava uma aventura, composta por 10 etapas, percursos mais exigentes e momentos onde era possível recuperar parte do esforço, entreajuda e companheirismo, superação e capacidade de sacrifício. A cada passagem por uma estação de hidratação, renovava-se forças e ambição e sentia-se a meta, no Parque das Nações, cada vez mais perto.

Na frente da corrida a competitividade via-se e sentia-se. Duas equipas, a defensora do título e invicta desde a primeira edição, a MMR-POWERADE-Garmin, e a Sportbike-Extremadura, lutavam taco-a-taco pela vitória, com pouco mais de dois segundos de distância. A vitória acabaria por ser discutida de forma inédita na POWERADE MTB Non-Stop Madrid-Lisboa, ao sprint, saindo novamente vencedora a MMR-POWERADE-Garmin, ligando as capitais ibéricas em 30 horas 9 minutos e 43 segundos.

Apesar da chegada dos vencedores, continuava a haver muitos motivos de interesse na prova. A categoria “Solo”, a mais dura e exigente da prova, concentrava grande parte das atenções perante a possibilidade de Portugal entrar no pódio.

Bruno Rosa, que se havia isolado dos restantes participantes “a solo”, via a cada quilómetro percorrido o sonho de vencer tornar-se uma realidade. Com a entrada em território nacional, com a passagem pelas estações de hidratação de Ponte de Sor e Coruche, o desgaste foi colocado para trás das costas e Bruno Rosa foi mesmo primeiro ciclista a chegar a meta em Lisboa na categoria mais difícil e exigente da prova, percorrendo os 770 km que separam as duas capitais ibéricas em 40 horas, 32 minutos e 22 segundos, - um recorde absoluto na prova, retirando cerca de duas horas ao tempo feito pelo vencedor da categoria na edição de 2014. Rodolfo Dias, campeão europeu de BTT em veteranos em 2013, reforçou a presença portuguesa no pódio, classificando-se em terceiro lugar na categoria “Solo”.

Pelas 18h de dia 27 de setembro fechou o controlo na meta em Lisboa. Dos 700 bikers que se fizeram à estrada em Madrid, apenas 58 desistiram e terminaram 174 equipas. Chegava ao fim mais uma edição da POWERADE MTB Non-Stop Madrid-Lisboa. É tempo de começar a preparar a edição de 2016.