Não precisas de ser um Nobel da Literatura para contar histórias boas e criativas. Basta que consigas aperfeiçoar algumas técnicas de comunicação e vais ver que terás muitos pontos a teu favor no dia-a-dia.

Segundo o autor Matt Roden, não existe um único elemento de escrita, de fala ou de comunicação que não beneficie de uma boa narrativa.

“Se consegues compreender a tua audiência, se consegues enquadrar ideias que são interessantes para outras pessoas ouvirem, se tens uma perceção interna e simples do começo, meio e fim, ou algum tipo de gancho emocional, as tuas habilidades de comunicação irão beneficiar”, diz o autor.

Como narrador de histórias e voluntário na organização sem fins lucrativos Sydney Story Factory, Matt já ajudou milhares de jovens escritores a desbloquearem a sua criatividade. Segundo o autor, o treino é essencial. Por isso, pratica muito e dá gás à tua imaginação!

Vai procurando um papel e uma caneta, porque vais sentir-te inspirado para escrever uma história assim que acabares de ler as cinco dicas de Matt Roden:

© Como narrador de histórias e voluntário, Matt já ajudou milhares de jovens escritores a desbloquearem a sua criatividade

1. Procurar um assunto que desperte emoções

“Se tens algo preso na tua mente, um acontecimento que não consegues parar de pensar, mesmo que seja um anúncio que não consegue sair da tua cabeça, é suscetível de fazer uma boa história. Pode ser algo que te cause desconforto, algo que não tens completamente a certeza de como te sentes em relação a isso ou emoções que continuam a voltar para ti. Se tens algum assunto que te incomoda, vais despertar reações na tua audiência.”

2. Misturar e combinar o familiar com o novo

“Pensa em algo com que estejas realmente familiarizado – talvez um género literário ou uma simples história – e acrescenta algo novo. Pode-se incorporar detalhes acerca do mundo pessoal de cada um na história, num género mais familiar. Não precisamos de continuar a ler a mesma história repetidamente, apesar das expetativas de Hollywood!”

©“Se tens algo preso na tua mente, um acontecimento que não consegues parar de pensar, é suscetível de fazer uma boa história”

3. Usar uma linguagem

“Em vez de tentar separar descrições, construir cenas, ou dizer como as pessoas se sentem, podes fazer isso tudo de uma vez pela forma como usas a linguagem. Às vezes isso é através da maneira como soa a linguagem, como descreves algo visual, ou como usas uma metáfora que combina com a história. Se estás a tentar descrever uma tempestade que está a acontecer e comunicar como a personagem se sente, podes combinar os dois. As pessoas intuitivamente pegam no que estás a sentir.”

4. Saber quando avançar e quando detalhar

“Equilibrar os dois elementos da narrativa: avançar – o que inclui novos detalhes, novos personagens, acontecimentos ou explosões; e detalhes – pormenores, descrições e emoções mais amplas. São ambos importantes e interessantes. Os bons narradores sabem quando escolher um em vez do outro. Se não sabes qual é o apropriado, pergunta a outra pessoa. Lê a tua história a um amigo e percebe se ele quer saber mais detalhes ou se está a ficar pelo caminho da narrativa.”

©A Sydney Story Factory é uma organização sem fins lucrativos que ajuda jovens escritores na escrita criativa.

5. Conhecer a audiência

“Se consegues pensar com antecedência sobre quem é a tua audiência, o que eles querem saber e que tipo de experiência pretendem, coloca-te numa melhor posição para ajudares as pessoas a conectarem-se com a tua história. Não é que tenhas que escrever exclusivamente para outras pessoas; no entanto, também precisas de considerar o que queres que saia da tua escrita.”

A Coca-Cola espera que estes conselhos te ajudem a ter ideias mais criativas, mas lembra-te que o importante é que te divirtas enquanto escreves. Agora já sabes: escreve um conto e partilha-o com alguém especial!