Todos os anos é o mesmo: chegam os exames e martirizamo-nos, prometendo que da próxima vez vamos ser mais aplicados e vamos começar a estudar desde o primeiro dia. Algo que, na melhor das hipóteses, só cumprimos na primeira semana.

Mas estudar desde o princípio tem muitas vantagens: é mais eficaz (não é o mesmo que recordar um assunto no qual não tocas durante meses do que um que tens recentemente na memória), permite-te detetar problemas ou questões que não tenhas compreendido antes que seja tarde de mais e, principalmente, evita stresse e pressões no final. Por isso, deixamos cinco conselhos para que se faça de forma mais viável.

1. Faz o teu plano de estudo (e sê realista)

É um conselho um pouco comum, mas todos sabemos que há tarefas mais complicadas do que outras. Pode depender dos teus gostos, podem haver matérias que assimilas só de olhar para elas e outras que te obriguem a revê-las uma e outra vez; ou pode ser que sejam objetivamente mais fáceis e mais difíceis. Identifica o quanto antes quais as matérias que mais problemas te dão e poderás concentrar-te nelas. 

Fazer um plano de estudo parece aborrecido, mas é mais fácil do que pensas. Só tens de ter tempo todos os dias para dedicar ao estudo: à tarde? à noite? preferes acordar cedo e estudar então? Existem muitas teorias sobre como assimilamos melhor a informação, mas no final de contas nós somos quem nos conhece melhor, por isso escolhe um período do dia em que possas estar sossegado, descontraído e com vontade.

É importante que sejas realista: não te ponhas a estudar seis horas por tarde, pois rapidamente tens de fazer outras coisas ou vais ficar exausto. É melhor estudar algumas horas por dia, de uma forma constante, do que começar em força e deixar de o fazer, ainda por cima com peso na consciência. Se tiveres um bom plano de estudos, não faz mal se não o cumprires um dia, desde que isso não se torne um hábito.

2. Sê organizado

Parece mais fácil do que é, especialmente para quem é um desastre e tem preguiça de arrumar ordenadamente as coisas depois de uma tarde de estudo. Mas vale a pena: pensa do frustrante que é passar meia tarde à procura dos apontamentos que não aparecem, ou aquele livro que ias jurar ter posto na mochila. 

Identifica em pastas diferentes cada um das matérias ou tema e certifica-te de que tens tudo o que precisas para estudar, tanto apontamentos como livros ou material. É a melhor forma de não dar desculpas a ti próprio para adiar mais um dia.

3. Olho na Internet

Usar o computador para estudar tem muitas vantagens, como escrever mais rapidamente, poder corrigir rapidamente ou ter toda a informação ao nosso alcance. Mas também pode ser um buraco negro para perder tempo se acabares a ver o Twitter, Facebook ou e-mail a cada dois segundo: quando deres conta, já estás a navegar há uma hora e um quarto enquanto os teus apontamentos esperam por ti.

Tem força de vontade e propõe-te não te distraíres até ao final da tarde. Sejamos realistas, o mais provável é que não perderes nada que não possa esperar algumas horas.

4. Revê o que viste na aula

Começa a tua sessão de estudo a reler o que aprendeste na penúltima aula e o que viste nesta. Volta a analisar os conceitos, faz a ligação mental entre si e anota os mais importantes numa folha à parte. Volta a ler os textos associados ao tema, ao fazê-lo novamente depois da aula fará com que ganhes uma nova perspetiva ao compreender melhor as coisas. Assim estás a jogar com vantagem, porque tens uma visão mais global do tema e ainda não passou demasiado tempo para que te tenhas esquecido dele. E anota tudo o que não compreenderes em notas adesivas para poder consultar as dúvidas.

5. Faz um esquema

Com os conceitos mais importantes que tenhas anotado, faz um esquema. Cada um é um mundo em relação a isto: uns preferem esquemas mais visuais, combinando desenhos, setas, tamanhos diferentes de letra, tabelas... mas há quem prefira resumos em texto ou lista de tópicos. Analisar qual é que funciona melhor para ti e aplica-o: só o facto de escreveres faz com que vás memorizado.

Bónus: 6. Não te sobrecarregues

Lembra-te que o objetivo de estudar todos os dias é precisamente não teres pressões quando chegar a época dos exames. Não fiques obcecado em memorizar tudo. É quase impossível memorizar em setembro algo para junho: o que queremos é manter a matéria fresca e garantir que a vamos compreendendo. Desta forma, quando chegar a época de estudar a sério, não irás deparar-te com apontamentos desconhecidos e com temas como os quais nem sonhas, mas sim com algo familiar que terás apenas de (re)ler e memorizar. Não acreditas nos nossos conselhos? Experimenta um trimestre (ou período) e comprova a diferença.

Imagens CC | jcbmac y Anais Gómez-C