Existem alguns desportos mais populares e outros mais exclusivos. Alguns são muito comuns, como aqueles que são praticados nas ruas e em recintos desportivos de todos os cantos do mundo e outros são mais raros. Queres descobrir quais as modalidades desportivas menos comuns que alguma vez fizeram parte da história dos Jogos Olímpicos?

Dos 28 desportos presentes no Rio 2016, existem duas novidades: o golfe e o râguebi. A última vez que a bola pequenina rolou num green foi em 1904, nada mais nada menos do que 112 anos atrás. Já o râguebi aguentou um pouco mais, mas a última vez que foi considerado um desporto olímpico foi em 1924.

Por outro lado, depois de Londres 2012, decidiu-se excluir o basebol e o softbol da lista dos desportos olímpicos. Nessa mesma lista nunca faltaram, desde os Jogos foram retomados em Atenas 1896, o atletismo, a natação e a ginástica rítmica. Luta greco-romana, remo e ciclismo falharam apenas uma vez.

Por esta altura, já deves estar a questionar “Então, como é que um desporto se torna olímpico?” Começamos por dizer que o processo não é complicado. Em primeiro lugar, um membro do comité olímpico nacional deve recomendar um ou vários desportos para integrarem a lista de espera que o Comité Olímpico Internacional (COI) submete a votação. Por sua vez, os membros do COI tomam a sua decisão com base na popularidade global que as modalidades possuem.

Surf vai ser modalidade olímpica nos jogos de Tóquio 2020

©Surf vai ser modalidade olímpica nos jogos de Tóquio 2020

O futuro depois do Rio de Janeiro 2016

Em 1940, os Jogos Olímpicos deveriam ter sido celebrados em Tóquio. No entanto, a capital japonesa dispensou o privilégio em plena Guerra Sino-Japonesa. Volvidas duas décadas, em 1964, o espírito olímpico aterrou finalmente na capital do Japão.

Em 2020, os Jogos Olímpicos vão regressar a Tóquio e cinco novos desportos vão entrar no programa olímpico. O COI anunciou no dia 4 de agosto que escalada, karaté, skateboard, surf e basebol/softball vão ser as novidades destes Jogos, subindo para 33 as modalidades desportivas presentes nas Olimpíadas.

Estes não são os únicos desportos que triunfaram ao longo da história. Embora possa parecer estranho, várias modalidades abriram caminho com o tempo, estabelecendo precedentes para que praticamente qualquer modalidade se torne olímpica.

O jogo da corda

Levante o braço quem nunca experimentou este jogo e tentou que equipa cedesse primeiro. Na verdade, é um desporto que todos nós já praticámos por competição ou pura diversão! Sabias que o nosso país vizinho é um grande adepto desta atividade?

O jogo da corda foi também uma modalidade olímpica entre 1900 e 1920 e esteve presente nos Jogos da Grécia Antiga.

O famoso jogo da corda, desporto olímpico entre 1900 e 1920

©O famoso jogo da corda, desporto olímpico entre 1900 e 1920

Salto sem impulso

O salto em altura e em distância é umas das provas mais vistas dos Jogos praticamente desde sempre. No entanto, houve uma época em que existia uma terceira modalidade: o salto sem impulso. Sabemos que é um bocadinho difícil de imaginar, mas nós explicamos!

Sem correr e sem qualquer impulso, os atletas tentavam saltar o mais alto e longe possível, enquanto uma equipa de juízes media a distância. Em três Olimpíadas diferentes, entre 1900 e 1912, este desporto disputou-se nas modalidades de salto em altura, salto em comprimento e triplo salto. O norte-americano Raymond Clarence Ewry é o detentor do recorde neste desporto, tendo ganho oito medalhas de outro em três edições olímpicas.

As musas do Olimpo

Durante mais de 30 anos, nem tudo foi músculo e força física nos Jogos Olímpicos. Entre 1912 e 1948, várias federações de atletas artísticos competiram nas mais variadas artes: arquitetura, literatura, pintura e escultura.

Oficialmente denominado de «Pentatlo das Musas», as categorias incluíam a planificação urbana, a arte dramática e a pintura em aquarela. A única condição que tinham de cumprir para poderem participar era serem amadores.

No entanto, nas últimas edições realizadas a maioria dos participantes eram profissionais. Portanto, o COI decidiu retirar as modalidades da arte dos Jogos.

Natação sincronizada a solo

A natação sincronizada a solo chegou a ser olímpica em três ocasiões: Los Angeles 84 e Barcelona 92. Nas primeiras edições, a americana Tracie Ruiz e a canadiana Carolyn Waldo ganharam ouro e prata.

Em Barcelona quem levou o ouro foram os Estados Unidos, mas por engano de um dos juízes. Na sequência do recurso por parte da federação canadiana, 14 meses mais tarde foi dado o ouro a Sylvie Fréchette, mas manteve-se o primeiro lugar para a americana Kristen Babb-Sprague.

Hóquei em Patins em Barcelona 92

©Hóquei em Patins em Barcelona 92

Exclusivo de Barcelona 92

Em cada edição, existem várias modalidades que não são aceites oficialmente, mas sim como desportos de demonstração. Esta medida visa promover o desporto em questão e começou a ser aplicada em Estocolmo 1912.

Em Barcelona 92 incluiu-se a Pelota Basca, que já tinha sido um desporto oficial desde Paris 1900. Participou também como desporto de exibição em Paris 1924 e no México 68. Em Barcelona disputaram-se 10 partidas, cinco das quais a seleção espanhola ganhou o ouro.

Naquele verão foi também disputada pela primeira e única vez uma competição olímpica de hóquei de patins. Neste desporto exclusivo de Barcelona 92, Argentina ficou com o ouro.

Olhando um pouco para o que a história nos mostra, quem é capaz de decidir o que é raro, comum ou normal? Os mais de 10.000 atletas que se encontram a participar no Rio 2016 também estão a romper com estereótipos e barreiras para levar as suas modalidades ao topo, mesmo que seja por um dia.

E tu, estás a acompanhar os Jogos Olímpicos deste ano?