Coca-Cola adora os Jogos Olímpicos! É por isso que marca presença em todas as edições do evento desportivo mais importante do mundo. Seja como a bebida que dá gás aos atletas que participam ou como patrocinador principal, a história da Coca-Cola com os Jogos Olímpicos é uma história de amor. Hoje o seu compromisso com o desporto e a sua herança com os Jogos estende-se há quase um século!

Por esta altura já deves estar a questionar “então, mas onde tudo começou?”. O que mudou desde a primeira edição, em 1928 em Amesterdão? Por que razão continua a Coca-Cola a cooperar com os Jogos Olímpicos? Aqui apresentamos-te um pequeno pedaço da história desta relação tão duradoura.

Coca-Cola e os Jogos Olímpicos: patrocinadora global

Coca-Cola é a marca que tem vindo a trabalhar com o Comité Olímpico Internacional (COI) nos Jogos Olímpicos há mais anos. Tudo começou em 1928, em Amesterdão – o ponto de origem de uma relação longa, frutífera e bem-sucedida. E no presente? Bem, graças à renovação do acordo com o COI em 2005, a Coca-Cola vai continuar a ser a patrocinadora dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020, para além da edição deste ano, Rio de Janeiro 2016.

Durante todos estes anos a Coca-Cola passou a ser mais do que uma marca associada: converteu-se em parte dos Jogos Olímpicos. Hoje em dia é uma das patrocinadoras globais do evento, com presença em todos os Jogos Olímpicos de todo o mundo.

Tudo começou em 1928, em Amesterdão – o ponto de origem de uma relação longa, frutífera e bem-sucedida
 O que significou ao longo dos anos? Imaginar os Jogos Olímpicos sem pensar na Coca-Cola é complicado! Por exemplo, de certeza que ainda te lembras das latas comemorativas que foram lançadas em Londres em 2012. Foram um sucesso a nível internacional. Não foi a primeira vez que aconteceu: desde a sua criação, a Coca-Cola tem-se esforçado para trazer os Jogos Olímpicos para as casas de todos os fãs. E que melhor maneira de olhar para este evento internacional como através de um pouco de história?

Em 1928, um barco proveniente dos Estados Unidos deixou um carregamento de mais de 1.000 caixas de garrafas de Coca-Cola em Amesterdão, para mais tarde serem vendidas em quiosques espalhados por todos os sítios dos Jogos Olímpicos. Além disso, as bebidas também devem ser utilizadas por atletas, graças aos efeitos positivos sobre a hidratação. Mas não é só: o logotipo da Coca-Cola estava visível em alguns dos cartazes do evento.

Quatro anos depois, os Jogos Olímpicos chegaram até Los Angeles, Estados Unidos, país em que a Coca-Cola foi fundada em 1886. Ali lançaram-se cartazes temáticos e outros objetos em comemoração dos jogos.


Os Jogos Olímpicos pararam 12 anos devido à Segunda Guerra Mundial, depois da edição realizada em Berlim, em 1936. Quando a competição recomeçou em Londres, em 1948, a Coca-Cola esteve presente. Dadas as dificuldades logísticas para levar as bebidas até Londres, as garrafas foram transportadas através dos portos de Glasgow e Belfast para todos os espetadores e atletas se refrescarem.

Los Angeles-1932

Cartazes, placas e garrafas: a mitologia da Coca-Cola nos Jogos Olímpicos

Roma
 Em 1956, a Coca-Cola organizou concursos para que os fãs norte-americanos pudessem viajar até Melbourne para assistir a uma nova edição dos Jogos Olímpicos. O evento teve lugar pela primeira vez no hemisfério sul, e a Coca-Cola também não perdeu a oportunidade. Na verdade, distribuiu mais de 100.000 bonés do tipo viseira entre os espetadores das diversas provas desportivas, e manteve a sua oferta habitual de bebidas ao longo de mais de 400 pontos de venda.

O mesmo se pode dizer de Roma, onde continuou a coleção das latas comemorativas dos Jogos Olímpicos.

Quatro anos depois, os Jogos Olímpicos viajaram até Tóquio, onde se realizou a edição de 1964. Uma vez que o idioma japonês é diferente do ocidental, a Coca-Cola colaborou na colocação de cartazes em inglês e japonês, além de guias e mapas traduzidos em ambas as línguas. A ideia foi muito bem-sucedida e foi repetida nas edições seguintes.

Tanto no México em 1968 como em Munique em 1972, também em Montreal em 1976 e Moscovo em 1980, manteve o seu apoio e patrocínio aos Jogos Olímpicos.
 Tanto no México em 1968 como em Munique em 1972, também em Montreal em 1976 e Moscovo em 1980, manteve o seu apoio e patrocínio aos Jogos Olímpicos. O resultado? Desenharam-se mais cartazes, mais placas, mais pines comemorativos, cada um mais relembrado que o outro. Todos eles preenchem as delicias dos colecionistas dos dias de hoje.

A partir da década de 80, no entanto, a relação entre os Jogos Olímpicos e a Coca-Cola aumentou. A celebração de uma nova edição de Los Angeles (1984) e o acordo firmado entre a Coca-Cola e o COI em 1986 impulsionaram definitivamente o seu papel nos Jogos Olímpicos: desde então, Coca-Cola é a patrocinadora principal e colabora com o Comité em diferentes programas sociais, de modo a levar o desporto a todos os cantos do mundo (a primeira iniciativa deste género teve lugar precisamente em 1984). A partir desse acordo, Coca-Cola tornou-se no único patrocinador oficial de bebidas não alcoólicas – uma posição que ainda hoje preserva.

Os noventa: a tocha e o regresso a casa

As duas edições dos anos noventa dos Jogos Olímpicos são muito especiais para a Coca-Cola por várias razões. Em 1992, em Barcelona, os jogos organizados em Espanha, participou pela primeira vez na organização da viagem que a tocha olímpica realiza ao redor do mundo. Graças a um programa patrocinado pela Coca-Cola, mais de 150 pessoas em 50 países ao redor do mundo sentiram a experiência inesquecível de pegar, ainda que apenas por uns metros, a chama dos Jogos Olímpicos.

E o que dizer sobre Atlanta em 1996? Como sabes, Coca-Cola foi fundada em Atlanta. 110 anos depois, os Jogos Olímpicos, o evento que levou tantos anos de trabalho, organizou-se em casa. A ocasião merecia uma homenagem ainda mais especial. Mas que homenagem poderia ser? A Cidade Olímpica de Coca-Cola, claro. Um recinto com mais de 32.000 metros quadrados onde todos os aficionados puderam disfrutar de várias atrações e provas desportivas simuladas.

Já no século XXI, um aspeto importante da relação da Coca-Cola e dos Jogos Olímpicos é a garrafa e a lata. Coca-Cola preocupa-se em lançar edições que homenageiam e recordem o evento desportivo tão especial. Durante os últimos anos, os esforços foram redobrados: aqui podes ver um exemplo de todas as garrafas comemorativas de Londres de 2012. Para Pequim em 2008, Coca-Cola lançou a campanha WE8, uma série limitada de garrafas com um desenho especial onde é possível construir um elo de ligação entre a cultura ocidental e a oriental.

Já no século XXI, um aspeto importante da relação da Coca-Cola e dos Jogos Olímpicos é a garrafa e a lata. Coca-Cola preocupa-se em lançar edições que homenageiam e recordem o evento desportivo tão especial

Tudo isto é apenas uma breve passagem pela Coca-Cola e a sua relação com os Jogos Olímpicos. Há muito mais, naturalmente. Começando com os Jogos Paralímpicos, que também são patrocinados pela Coca-Cola há muitos anos. E continuando com outras iniciativas que estão relacionadas com o desporto olímpico, mas não necessariamente a nível profissional. Este é o caso de Special Olympics, um programa que permite a milhares de pessoas com transtornos mentais ou físicos da Espanha participarem em provas desportivas e em competições.

Coca-Cola e Jogos Olímpicos: uma história de amor verdadeiro, cimentada ao longo dos anos e que já contou com grandes momentos. Próxima parada: Rio de Janeiro 2016! Ali, juntamente a milhões de pessoas de todas as partes do mundo, estará também Coca-Cola.

Imagen: The Inspiration Room