Estás a planear a tua viagem e és apaixonado por desporto? Nesse caso, a melhor forma de te relacionares com o espírito de uma cidade é visitar o seu estádio de futebol. Décadas de história às suas costas, um valor simbólico incomparável, espaços comunitários onde milhares de pessoas partilham a sua paixão pelas cores... Os estádios de futebol transformaram-se em locais que vão além do próprio desporto.

O seu valor cultural contagia as cidades onde vivem: projetam-se nos seus representantes e é o local onde milhares de jovens talentos sonham um dia jogar, talentos que dão os primeiros passos na Taça Coca-Cola. Agora, graças à renovação de muitos destes estádios estão a ter, transformaram-se também em atrações turísticas. Os estádios são agora catedrais do futebol que têm marcado presença nos guias turísticos.

Por isso é também boa ideia visitar os seus corredores, as suas bancadas e os vestuários quando não há jogo. Conhecer um estádio de futebol por dentro permite compreender melhor a idiossincrasia de um clube e a sua magnitude. Passear nas redondezas ajuda a compreender de onde vem a equipa, as suas raízes e as suas gentes. Da Alemanha à Argentina, passando pela Inglaterra, Espanha e Itália, aqui estão alguns estádios que merecem ser visitados.

Anfield, Liverpool

Anfield é um dos últimos redutos que ainda sobrevive ao passar do tempo. Embora o Liverpool tenha previsto mudar de estádio em breve deixando para trás mais de um século de história, Anfield será sempre o seu lar. A casa do Liverpool, sempre a transbordar de setembro a maio, passando pelo Natal e pelo Boxing Day, é provavelmente um dos estádios mais místicos e presentes no imaginário coletivo da sua cidade.

Anfield foi construído num bairro operário. Atualmente, a estrutura do local onde habita continua a evocar tempos passados, dias de explosão industrial com as típicas casas de operários do norte de Inglaterra. O Liverpool cresceu nesse ambiente e na verdad eessa identidade permanece entre os seus adeptos. A sua bancada mais conhecida é a The Kop, uma tribuna com capacidade para mais de 12.000 espetadores. O seu nome deriva de uma montanha de África do Sul onde, durante a Guerra dos Bóer, ocorreu uma batalha em que participaram soldados oriundos da região.

Signal Iduna Park, Dortmund

Dortmund é uma cidade jovem, centro da maior faixa industrial da Alemanha. Entre o seu traçado bastante comum, destaca-se um estádio com uma silhueta única: o Signal Iduna Park, anteriormente conhecido como Westfalenstadion. Situado a sul do centro, destaca-se por conciliar o toque dos antigos campos de futebol alemães com todas as vantagens da modernidade.

O Signal Iduna Park impressiona pelo tamanho e pela profundidade das suas bancadas. A bancada mais destacada é a Südtribüne, a bancada com maior capacidade da Europa. Esta confere uma sensação visual inigualável: dezenas de milhares de pessoas amontoam-se em grandes colinas que dão força à sua equipa, ensurdecedoras e vigorosas. Esteticamente também é único: as suas vigas exteriores e a sua imponente arquitetura dão-lhe o aspeto de uma grande fortaleza. Património vivo de Dortmund, orgulho dos seus vizinhos, o Signal Iduna Park é uma das principais atrações turísticas para os milhares de adeptos espalhados por todo o mundo.

La Bombonera, Buenos Aires

Poucos bairros de Buenos Aires são tão emblemáticos como La Boca. Este pequeno distrito portuário da capital argentina é a história viva do desporto. Rodeado por ruas cheias e casas coloridas, respira-se futebol por todos os poros. Aqui nasceram o River Plate e o Boca Juniors, duas das maiores equipas do mundo, e aqui se construiu um dos estádios mais famosos de toda a história:La Bombonera.

Sem dúvida, o futebol vive-se de uma forma muito mais emotiva na América Latina. Os estádios sempre cheios revelam uma devoção incomparável. La Bombonera, casa do Boca Juniors, é uma das catedrais mais excitantes do futebol mundial, graças às suas cores inconfundíveis e à proximidade do público com os jogadores, além da sua arquitetura peculiar, em que uma das laterais é totalmente vertical. Aqui cresceram e tornaram-se lendas jogadores como Diego Armando Maradona, Juan Román Riquelme ou Martín Palermo.

Santiago Bernabéu, Madrid

 

O Santiago Bernabéu é um dos estádios mais antigos de Espanha e ponto de encontro internacional dos milhões de seguidores do Real Madrid. Atualmente é um dos espaços desportivos mais funcionais e modernos, e a sua posição privilegiada em pleno centro da cidade faz com que seja uma visita obrigatória para os muitos turistas. O clube branco tem sabido explorar as possibilidades da tecnologia e da sua marca mundial para levar o Santiago Bernabéu a um novo nível.

O restaurante com vista para o campo, a loja e o amplo museu colocam-no no topo dos estádios que vão além do próprio futebol e se destacam dentro do turismo. Visualmente também é deslumbrante. Com uma grande capacidade, destaca-se a verticalidade das suas bancadas. Ao contrário dos grandes estádios espanhóis, tem bancadas cobertas em quatro laterais do estádio, pouco profundas e muito verticais. O luxo e a modernidade que rodeia o Santiago Bernabéu fazem o resto: vale a pena percorrer os vestiários, a zona de imprensa e os corredores do estádio, além do seu extenso museu.

San Siro, Milão

Milão é uma cidade de duas caras: por um lado, vermelha e preta, representada pelos adeptos do AC Milan; por outro, preta e azul, cores dos apoiantes do Inter de Milão. Propriedade de todos os milaneses, San Siro é um dos estádios mais belos de todo o continente. A sua arquitetura única, reformada e remodelada ao longo dos anos (foi inaugurado em 1926), torna-o inconfundível: as torres em espiral e os grandes pilares vermelhos colocados sobre as bancadas fazem como que sejam já um local frequente na mitologia do futebol europeu.

A vantagem de ir a San Siro é dupla: por um lado, aprecia-se um dos locais mais simbólicos de uma cidade pouco turística como Milão, por outro aprecia-se o convívio entre ambos os clubes, não só no estádio como na cidade.

Estes são apenas alguns exemplos de estádios de futebol que são locais históricos ou que são, por si só, centros modernos que vale a pena visitar. Há muitos mais, nem todos tão grandes nem tão populares, mas igualmente especiais e mágicos. Do Ibrox Park ao Parque dos Príncipes, não te esqueças dos estádios de futebol quando estiveres a planear as tuas viagens.

Imagem: Steven Newton (Wikipedia)Daniel Schroeder (Wikipedia)Uwebart (Wikipedia)Robin Bos (Flickr)Alex France (Wikipedia)