Conheces de ginjeira os anúncios da Coca-Cola, a sua publicidade e os seus slogans mais memoráveis, mas talvez ainda não tenhas ouvido falar da história da sua fábrica em Portugal. Agora tens a oportunidade.

Por ocasião do 40º aniversário da chegada de Coca-Cola ao país e através de uma conversa com o diretor de Relações Externas da Coca-Cola Portugal, Tiago Lima, regressamos ao passado, analisamos o presente e o futuro da Companhia.

A primeira Coca-Cola em Portugal foi vendida em 1977 e, nesse ano, deu-se o início da atividade de uma linha de enchimento, a Refrige – Sociedade Industrial de Refrigerantes SA, localizada em Alfragide. No ano seguinte, a fábrica mudou-se para Azeitão, onde permanece nos dias de hoje para engarrafar cerca de 90% das bebidas que chegam diariamente a todos os pontos de venda do país. Mas a chegada da Coca-Cola significou muito mais: era sinónimo de liberdade.

A história da Coca-Cola em Portugal
É desde o início que os consumidores associam a Coca-Cola aos bons momentos com a família e os amigos.

Lisboa. 1977. Coca-Cola acaba de chegar a Portugal. O que encontrou a Companhia ao chegar? Como era o país, a sociedade?

No dia 4 de julho de 1977 foi vendida a primeira Coca-Cola em Lisboa. Este momento representa muito mais do que uma simples venda. Numa altura em que se começava a respirar o ar da liberdade em Portugal, com a chegada da democracia, chegou também a Coca-Cola. E ainda com o calor de revolução nas gargantas, a marca convidou, desde logo, a desfrutar o lado mais refrescante e a viver os melhores momentos da vida com um brinde de uma Coca-Cola bem gelada.

Apesar da entrada “tardia” no mercado português, já havia muito conhecimento do que era a Coca-Cola. Afinal, a bebida já era vendida em Espanha desde 1950. Paradoxalmente, a Coca-Cola estava presente nas colónias portuguesas, em Moçambique e Angola. Quando as pessoas voltaram a Portugal a seguir ao 25 de abril, muitas já tinham contactado com a bebida.

Foram complicados os primeiros anos?           

A presença da Coca-Cola em Portugal simbolizou, desde logo, uma das mudanças positivas trazidas pela chegada da democracia ao País e rapidamente conquistou a preferência dos consumidores portugueses.

Foi, desde logo, uma marca muito associada aos bons momentos entre a família e os amigos, o que é visível logo nos primeiros anúncios televisivos lançados. Entre convites para brindar ao “lado Coca-Cola da vida” ou para desfrutar de uma Coca-Cola refrescante e deliciosa num dia quente de verão com os amigos, a marca sempre conectou com os consumidores portugueses de uma forma especial, com muita alegria e diversão.

A história da Coca-Cola em Portugal
É através da fábrica Refrige, situada em Azeitão, que partem cerca de 90% das bebidas que chegam diariamente a todos os pontos de venda em Portugal.

Como evoluiu a Coca-Cola nestas quatro décadas? Como era e como é?

Até 1981, era apenas produzida a Coca-Cola Sabor Original na Fábrica da Coca-Cola, que se localiza em Azeitão e de onde partem cerca de 90% das bebidas que chegam diariamente a todos os pontos de venda do país. A partir desse ano, a família Coca-Cola começou a crescer e a apresentar várias opções de consumo. Atualmente, apresenta quatro variedades de Coca-Cola: Sabor Original, Zero Açúcar, Zero Açúcar Zero Cafeína e Light, e uma gama de marcas como Fanta, Sprite, Aquarius, Nordic Mist, Aquabona, Nestea, Powerade, Minute Maid e Burn.

Ao longo destas quatro décadas, a Coca-Cola sempre manteve o seu princípio de ser uma marca próxima da comunidade. Continua a ser “a tal”, uma marca que continua a estar no topo da preferência dos consumidores, pela forma como inova e atua no mercado e como aporta valor à sociedade. O nosso compromisso mantém-se: inovar, antecipar e corresponder aos gostos e preferências dos nossos consumidores, num ambiente constantemente em mudança.

Falemos do portefólio de bebidas. Quais foram as mudanças mais significativas nestes 40 anos?

A primeira mudança significativa foi em 1981, quando surgiu a Sprite e, nos anos seguintes, a Fanta Laranja e a Coca-Cola Sem Cafeína. Sete anos depois, assistimos ao lançamento no mercado português da Coca-Cola Light que começou, desde logo, a satisfazer um leque mais alargado de clientes com diferentes gostos e estilos de vida.

Em 2007 foi lançada a Coca-Cola Zero, o lançamento mais significativo da marca em Portugal até então. O objetivo era simples: ampliar o portefólio de bebidas da Coca-Cola e apresentar bebidas adequadas a várias ocasiões de consumo.

Recentemente, apresentámos uma nova fórmula de Coca-Cola Zero com um sabor ainda mais próximo da versão original, mas sem açúcar. Através de um equilíbrio de aromas e sem alterar ou acrescentar qualquer ingrediente, oferecemos aos consumidores portugueses um sabor melhorado. Este foi um dos maiores investimentos realizados por nós na última década no mercado nacional e internacional, que reflete a forte aposta da Companhia na categoria de bebidas sem açúcar.

A sociedade procura cada vez mais por alternativas de bebidas com menos açúcar. O que está a Coca-Cola a fazer para responder a esta tendência?

A prioridade da Coca-Cola sempre foi – e vai continuar a ser –  oferecer aos consumidores as bebidas que conhecem e adoram. Reconhecemos que os tempos mudam, e nós mudamos com eles. Sabemos que a sociedade procura outras possibilidades de escolha mais saudáveis, o que inclui alimentos e bebidas com menos açúcar.

Precisamos de estar na linha da frente das tendências e dos gostos dos nossos consumidores, o que significa ter uma gama verdadeiramente diversificada de marcas que se concentram nas suas necessidades. Atualmente, a Coca-Cola oferece em Portugal uma opção sem adição de açúcar na maioria das marcas, o que nos leva a dispor de 28 referências de produtos sem adição de açúcar, light ou zero.

Como é agora o consumidor português?

Ao longo dos anos, o consumidor português foi-se tornando cada vez mais exigente em relação aos alimentos e às bebidas que ingere. Hoje em dia, pretende consumir produtos com menor teor de açúcar e procurar por outras alternativas, tendo em conta o seu estilo de vida cada vez mais saudável.

A Coca-Cola reconhece que esse é o caminho e, enquanto líder da indústria de bebidas refrescantes, tem a responsabilidade de reconhecer, antecipar e adotar medidas que correspondem àquilo que hoje em dia é o consumidor português. Queremos continuar a oferecer a todos os amantes da marca as bebidas que realmente desejam e é por isso que estamos a agir no sentido de adaptar as fórmulas das nossas bebidas.

Conversa com o diretor de Relações Externas da Coca-Cola Portugal, Tiago Lima
Tiago Lima destaca que "a Coca-Cola oferece em Portugal uma opção sem adição de açúcar na maioria das marcas".

Foto: Marta Ortiz

A atividade da Coca-Cola, na sua fábrica em Azeitão, tem um impacto económico no país. O que a Companhia vende em Portugal, fabrica também dentro do país?

A Coca-Cola chega atualmente aos portugueses através da sua fábrica, a Refrige, localizada em Azeitão, distrito de Setúbal. É a partir daqui que são engarrafadas cerca de 90% das bebidas que chegam diariamente a todos os pontos de venda do país.

Integrada atualmente na Coca-Cola European Partners, a Refrige é um dos engarrafadores mais modernos da Europa e conta com instalações em Braga, Porto, Estarreja, Coimbra, Lisboa, Azeitão e Loulé, bem como presença comercial na Região Autónoma dos Açores e da Madeira.

Quantos postos de trabalho gera – diretos e indiretos?

A Coca-Cola European Partners Portugal é uma empresa que tem 432 trabalhadores diretos e gera cerca de 4.500 empregos indiretos. É, portanto, um forte motor da economia da região de Setúbal e é uma empresa que se orgulha de poder trabalhar com muitos fornecedores portugueses há quatro décadas.

No plano social, a Coca-Cola Portugal desenvolve projetos para promover a cultura e o desporto?

A Coca-Cola desenvolve uma série de iniciativas em Portugal pensadas especificamente para a população nacional. A coleção Património Revisitado é, provavelmente, um dos melhores exemplos do contributo da Coca-Cola para a promoção da cultura nacional, colocando a embalagem de uma bebida icónica ao serviço de monumentos históricos do país.

Também o festival ‘Adoramos a Nossa Gastronomia’ é um dos exemplos desenvolvimentos pela Coca-Cola no âmbito cultural. Com início em 2015, o festival dá a saborear o que Portugal tem de melhor para oferecer, através da apresentação de 12 pratos típicos das regiões de Norte a Sul do País. Este ano, é com orgulho que celebramos a sua terceira edição.

A marca promove no território nacional, através da campanha de verão “Partilha uma Coca-Cola com”, alguns dos muitos destinos turísticos portugueses de eleição, como Ponta Delgada, Funchal, Albufeira, Troia, Cascais e Moledo nas próprias embalagens de Coca-Cola. Presente também em outros países europeus com outros destinos portugueses (Lisboa, Porto, Açores, Madeira, Algarve, Faro e Albufeira), 400 milhões de pessoas têm a oportunidade de contactar com uma Coca-Cola personalizada com os destinos de Portugal. Este é um exemplo de uma promoção cultural, quer a nível nacional como internacional.

No âmbito da comemoração do seu 40º aniversário, a Coca-Cola está a colocar garrafas comemorativas em cada um dos distritos portugueses. Símbolo do nosso agradecimento a todos os portugueses por estas quatro décadas, cada garrafa é única e simboliza o nosso compromisso com Portugal.

Saliento também o contributo que a Coca-Cola tem dado para a promoção de hábitos de vida saudáveis, nomeadamente através da prática desportiva, com atividades e iniciativas que são bem acolhidas pelos municípios e pelas comunidades locais.

A Companhia sempre se destacou por uma ambiciosa estratégia ambiental a nível global. O que está a fazer em Portugal do ponto de vista da sustentabilidade?

Ao longo dos anos, a Coca-Cola e a World Wildlife Fund (WWF) partilharam objetivos comuns de trabalho e desenvolveram projetos para salvaguardar ecossistemas fragilizados, tais como a conservação da maior mancha de sobreiro do mundo e o maior aquífero ibérico através do projeto “Green Heart of Cork”. Com o apoio da Coca-Cola, a WWF valoriza os proprietários rurais que apresentem boas práticas de gestão florestal e que mais contribuem para a melhoria dos serviços fundamentais que os ecossistemas prestam a todos nós, de onde se inclui a regulação do ciclo da água.

No ano passado, a The Coca-Cola Company e os seus parceiros engarrafadores globais conseguiram cumprir cinco anos antes do previsto para 2020, o seu objetivo de devolver à natureza e às comunidades a totalidade da água que utiliza para as suas bebidas. A Coca-Cola Portugal integrou este projeto e, juntamente com os outros países, conseguiu repor 337,7 milhões de litros de água dos 300,19 milhões que utilizou.

Um dos eixos principais da Coca-Cola é atuar de acordo com a sustentabilidade ambiental. A água é o ingrediente principal das nossas bebidas, mas é muito mais que isso: é vital para as comunidades onde a Companhia opera.

Conversa com o diretor de Relações Externas da Coca-Cola Portugal, Tiago Lima
A Coca-Cola European Partners em Portugal dá trabalho a 432 pessoas e gera cerca de 4.500 empregos indiretos.

Foto: Marta Ortiz

40 anos dá para contar muitas histórias. Em que páginas inesquecíveis da história mais recente de Portugal esteve presente a Coca-Cola?

Ao longo destes 40 anos, a Coca-Cola ganhou um espaço no dia-a-dia dos portugueses, acompanhando-os nos momentos de celebração em família e com os amigos, nos principais eventos desportivos, musicais e culturais na promoção do país dentro e fora das fronteiras.

Orgulha-se de ter estado presente em páginas inesquecíveis da história recente do país como, por exemplo, o Campeonato do Mundo de Juniores, realizado em Lisboa em 1991, no qual Portugal se sagrou bicampeão mundial; a Expo’98, onde apresentou uma exposição de garrafas contour, em grande escala, representativas de cada país; o Euro’2004, o maior evento desportivo organizado no país, que uniu os portugueses em torno da seleção nacional.

A homenagem às características únicas do país levou a Coca-Cola a estar presente em espaços icónicos, como o elétrico 28, e a desenvolver produtos personalizados e ações específicas para o mercado nacional como, por exemplo, a coleção Património Revisitado, que já homenageou monumentos nacionais classificados como Património da Humanidade pela UNESCO (Convento de Cristo em Tomar, Gravuras Rupestres de Foz-Côa, Palácio da Pena em Sintra, Torre de Belém, Centro Histórico do Porto e Floresta Laurissilva da Madeira); a campanha “Partilha uma Coca-Cola com”, que colocou nas latas os nomes próprios mais comuns, e mais recentemente a campanha “Partilha uma Coca-Cola bem gelada em”, que não só homenageia destinos turísticos nacionais como os promove além-fronteiras, em outros países europeus.

O pode esperar o consumidor português da Coca-Cola?

Compromisso. Estamos comprometidos com Portugal há quatro décadas e vamos continuar a apostar neste mercado.

Celebrar 40 anos em Portugal é um marco inesquecível e é, para nós, um motivo de orgulho. São quatro décadas de uma relação de grande proximidade, em que acompanhámos de perto as mudanças culturais e sociais do país. Para nós, não há nada melhor do que continuar presentes no dia-a-dia de todos os portugueses.

Olhando para o futuro, qual é o caminho da Coca-Cola?

O caminho da Coca-Cola em Portugal seguirá em linha com a estratégia definida a nível global de nos tornarmos numa “Companhia de bebidas completa”. É, sobretudo, uma mudança na forma como nos vemos a nós próprios. À medida que nos adaptamos às mudanças nas preferências dos consumidores e às alterações sociais, precisamos de garantir que estamos sempre focados em vender o que os consumidores querem comprar.

Se correspondermos às expetativas, necessidades e preferências dos consumidores, ao investirmos nas categorias de bebidas que desejam, vamos prosperar.