Há cada vez mais pessoas que optam por não ter carro. Se viveres numa cidade, podes passar meses sem que precises dele, já que com os transportes públicos, bicicleta ou caminhando poderás chegar facilmente a todo o lado.

Muitos dos que abdicaram de ter carro próprio fizeram-no para poupar; ter carro representa bastantes custos: o preço do próprio carro, os impostos, a gasolina, as reparações... e em muitos casos, ainda um lugar de estacionamento para o poder guardar. Algo que não compensa se a utilização que fazemos dele é esporádica. Um carro passa em média 95% da sua vida útil estacionado e sem utilização, assim, a conclusão é evidente: o sustentável é partilhar.

E embora utilizemos a bicicleta ou os transportes públicos, há situações em que ter um carro é necessário. O que podemos fazer nesses momentos? Por sorte, atualmente utilizar um carro não é sinónimo de sermos proprietários dele, já que existem muitas opções para utilizar um carro quando precisamos, sem que este tenha de ser nosso.

Imagem: Sam Beebe

Carpooling ou carro partilhado: para o trabalho ou em viagem

Há já alguns anos têm surgido plataformas na Internet que permitem que pessoas entrem em contacto umas com as outras para fazerem um determinado percurso de carro com outros interessados em fazê-lo, o que se denomina carpooling. Desta forma, todos saem a ganhar: o condutor poupa em gasolina, que é paga em partes iguais, e o passageiro gasta menos do que com outros meios de transporte ou do que levando o seu próprio carro.

O carpooling não é só para viagens de férias: muitas empresas põem os seus próprios trabalhadores, que vivem em zonas próximas, em contacto para que se desloquem para o trabalho num só carro. Isto representa menos carros nas estradas e, por isso, menos trânsito; além de ter de haver menos espaço no edifício para lugares de estacionamento.

Se todos os funcionários de uma empresa se deslocassem partilhando o carro, supondo que há quatro viajantes por carro, tudo mudaria: acreditas que desapareceriam três em quatro carros do trânsito às horas de ponta? que 75% do espaço dedicado ao estacionamento na empresa poderia servir para outras coisas? O carpooling é a solução.

Imagem: Mariordo

Carsharing: um carro para quando precisares

Não tenho carro, mas se um dia tiver de fazer uma compra grande e não tiver como a levar para casa? Ou preciso de ir para um local distante onde não há transportes públicos? Já não é necessário fazer uma ronda de chamadas para os teus familiares à procura de alguém que te empreste o carro. O carsharing é a solução.

Os sistemas de carsharing funcionam de forma semelhante à da bicicleta pública: existe uma frota de carros repartida pelos estacionamentos da cidade, que os sócios do sistema podem utilizar livremente e a um custo muito mais baixo do que o de aluguer de férias e, obviamente, que o de ter carro.

Além disso, alguns sistemas criaram agora o conceito do carro de bairro: um vizinho compra um carro e a empresa de carsharing financia parte dos custos, desde que, durante algumas horas por semana, o ceda para que os seus vizinhos o utilizem como carsharing. Desta forma, podes ter o teu próprio carro quando precisares (para sair no fim de semana, para as compras semanais...), e no tempo em que o terias normalmente estacionado na garagem, outra pessoa poderá utilizá-lo.

Como podemos ver, não faltam alternativas para que possamos utilizar o carro quando precisamos, sem que isso signifique que temos de suportar sempre os seus custos.